breadcrumbs

Tratamento de canal não é vilão, mas pode ser evitado com hábitos diários

endodontia-pagina

09.07.2021 | POR: wsg-super-admin

Tratamento de canal não é vilão, mas pode ser evitado com hábitos diários

Fazer um tratamento de canal nos dentes ainda é um tabu enfrentado por muitas pessoas que precisam passar pelo procedimento.

Desde sempre, tido como o mais temível dos tratamentos dentários, o canal levou uma má fama que tentaremos desconstruir com algumas informações importantes ao longo deste artigo.

Afinal, quem nunca ouviu falar que fazer canal dói ou que você vai ficar sem a raiz do dente?

Bom, siga na leitura e tire as suas principais dúvidas sobre o canal.

O que é canal?

O canal é um tratamento endodôntico realizado em casos de cáries profundas, traumas ou fraturas em algum dente.

Ele é feito retirando-se a polpa do dente, que é um tecido que fica na parte interna do osso dentário.

É neste tecido que se encontram os vasos sanguíneos e nervos do dente.

Por isso, qualquer intercorrência nesta região causa profundo desconforto.

Ou seja, o canal consiste na remoção desta polpa dentária devido a uma infecção, trauma ou necrose. Após a remoção, o canal é limpo e preenchido para que este espaço fique fechado.

O que pode indicar um tratamento de canal?

Através das cáries, rachaduras ou falhas as bactérias podem penetrar no interior do dente e atingir sua polpa, infectando-o. Pode-se sentir dor ou não. Em casos de abscessos, a infecção pode causar dor e/ou inchaço.

Através do raio-X dentário e outras avaliações, o cirurgião pode detectar a necessidade de realizar o canal, o qual se não for tratado corretamente pode trazer sérios problemas a saúde bucal.

O próprio dentista pode fazer o procedimento ou indicar a um endodontista, dentista especialista em “canais” e, no caso de crianças, pode ser indicado um odontopediatra, especialista na área infantil.

O procedimento de canal dói?

Todo tratamento desde a primeira sessão é feito com anestesia local, ou seja, não se sente dor devido a uma boa analgesia.

Quando se trata de casos de abscessos com dor, ou outras intercorrências que possam dificultar a anestesia, o dentista avalia a necessidade de medicamentos orais para diminuir a infecção e proporcionar mais tranquilidade na sessão do tratamento.

E o tempo de duração para finalizar o canal?

Cada caso é específico e único, pode-se concluir o “canal” em uma sessão ou mais um retorno ao consultório, devido à infecção necessitar de troca de medicamentos internos no dente.

Ao término do tratamento, pode-se sentir o dente ou região ainda doloridos, porém não costuma ser caso de grandes dores e inchaço, se isto acontecer o correto é procurar o dentista e informá-lo dos sintomas.

Para alguns raros casos, há a necessidade de retratamento do canal, onde o dentista retirará todo material de preenchimento anterior, limpará o canal novamente e obturará mais uma vez o conduto radicular.

Após o tratamento endodôntico, é necessária a realização do tratamento restaurador, ou seja, deixar o dente em condições mais próximas possíveis do seu formato original e melhorar a condição mastigatória.

A avaliação sobre o tipo de restauração dependerá da quantidade de dente saudável e forte que restar após o tratamento do “canal”.

Se este dente tiver perdido partes grandes devido à cárie ou quebra, talvez seja indicado um pino e uma coroa para garantir que ele aguente as forças mastigatórias e não venha a se quebrar.

Muito importante lembrar

O tratamento de canal não protege o dente de outros danos, sendo assim, deve-se manter total cuidado com a escovação e acompanhamento com o cirurgião dentista para que ele e os demais dentes se mantenham saudáveis e seguros.

O tratamento do “canal” é algo muito simples e não deve ser tão temido como muitos pensam, o melhor é evitar que aconteça cuidando sempre bem dos dentes, mas no caso de indicação para isso, pode ficar despreocupado porque é muito tranquilo este procedimento.

Evitando um tratamento de canal

A maneira mais efetiva de você evitar um canal é prevenindo-se e cuidando da sua saúde bucal. Ou seja, não deixando o problema surgir.

Por isso, hábitos como uma boa escovação diária, o uso correto do fio dental e uma alimentação adequada são fundamentais para evitar o surgimento de cáries.

Além disso, é importante que você visite regularmente o seu dentista para fazer um check-up e diagnosticar possíveis intercorrências com antecedência.

Com estes cuidados básicos, necessários e fáceis de se manter você garante um sorriso saudável e tem pouquíssimas chances de fazer um canal.

Eu sou o Dr. Fabricio Pessone, cirurgião-dentista, especialista em Ortodontia, Cirurgia Oral e Harmonização Orofacial (HOF) e Membro da Associação Brasileira de Harmonização Orofacial (ABRAHOF).

Entre em contato conosco.

Será um prazer atender você!

RELACIONADOS

endodontia-pagina
  • 03.04.2018 | POR: Fabricio

O temido tratamento de “canal”, mais tranqüilo do que você imagina!

Os dentes são estruturas duras que em seu interior possuem o que chamamos de canais radiculares. Preenchendo este canal, temos a polpa dentária (parte vital), composta por nervos e vasos sanguíneos que auxiliam no crescimento e desenvolvimento do dente. O tratamento endodôntico (canal) consiste na remoção da polpa dentária devido a uma infecção, trauma ou […]

leia mais

NEWSLETTER

Receba dicas em seu email